História da Fraternidade

Matriz de São Lourenço

Matriz de São Lourenço Fonte: Grupo Nikity das Antigas (Facebook)

A Fraternidade Franciscana Secular da Imaculada Conceição da Bem-Aventurada Virgem Maria fundada em Niterói no ano de 1926, pelo frei Ignácio Hinto, então guardião do Convento de Santo Antônio, na cidade do Rio de Janeiro, sendo aprovada por Dom Agostinho Francisco Benassi, Bispo da Diocese de Niterói.

As reuniões preparatórias para a fundação da fraternidade aconteciam a princípio na Matriz de São Lourenço, com a participação do Dr. José Geraldo Bezerra de Menezes (que foi o primeiro irmão que ocupou a função de ministro da fraternidade).  Mais tarde estas reuniões foram transferidas para a Igreja de São João Batista, Catedral da Diocese de Niterói, onde foram acolhidos pelo Monsenhor João Xavier de Carvalho.

Em 1º de novembro de 1926, realizou-se a reunião solene na Capela da Catedral, quando foi lida a bula de ereção canônica da fraternidade, assinada pelo Padre Provincial, Frei Celso Dreiling. Neste momento foi feita a vestição dos primeiros noviços, sendo composto por 15 irmãos e 34 irmãs, incluindo a entrada de 4 sacerdotes, entre eles o Cura da catedral, então governador do bispado, que fez seu noviciado juntamente com os demais irmãos e irmãs. Interessante observar que nesta época, antes das reformas ocorridas na OFS após o Concílio Vaticano II, os irmãos e irmãs recebiam o hábito franciscano secular através da cerimônia da vestiçãoquando se tornavam noviços (hoje chamados formandos), e recebiam um nome religioso, com o qual se reconheciam dentro da fraternidade.

Catedral de São João - s/d Colaborou: Paulo César (Grupo Nikity das Antigas - Facebook)

Catedral de São João – s/d
Colaborou: Paulo César (Grupo Nikity das Antigas – Facebook)

 

A primeira mesa administrativa (conselho da fraternidade) foi composta pelos seguintes irmãos e irmãs:

MINISTRO – Dr. José Geraldo Bezerra de Menezes (irmão Francisco Solano);

MINISTRA – Dona Joselina Magalhães (irmã Clara de Assis);

MESTRE DE NOVIÇOS – Mário de Souza Pereira (irmão Benedito Antônio);

MESTRE DE NOVIÇAS – Dona Maria da Silva (irmã Maria da Eucaristia);

SECRETÁRIO – Arthur Tôrres Cunha (irmão Pedro Batista);

SECRETÁRIA – Dona Mathilde Ribeiro de Almeira (irmã Prudenciana);

TESOUREIRO – Severino Rodrigues Loureiro (irmão Lourenço de São Francisco); e

TESOUREIRA – Dona Carolina de Almeida Baptista Pereira (Irmã Salomé).

 

A profissão solene da primeira turma ocorreu em 15 de janeiro de 1928, constituída de 10 irmãos e 14 irmãs.

Ao chegar em Niterói em 1928, o Bispo Dom José Pereira Alves, para substituir na Diocese, Dom Agostinho Benassi, logo tornou-se grande admirador da fraternidade, ingressando como noviço no dia 19 de agosto e professando a 06 de abril de 1930, recebendo o nome de Irmão Francisco de São Ludovico.

Em janeiro de 1929 a sede da Ordem foi transferida para a Capela de São Francisco, anexa à Catedral de São João Batista, onde permaneceram por 14 anos.

Igreja de São Domingos Colaborou: Carlos Benites (Grupo Nikity das Antigas - Facebook)

Igreja de São Domingos
Colaborou: Carlos Benites (Grupo Nikity das Antigas – Facebook)

 

Em 17 de dezembro de 1939, o bispo de Niterói, cria a Paróquia de São Domingos, desmembrando-a da Catedral e confiando-a aos frades menores. Estando os frades em São Domingos, os irmãos e irmãs da OFS transferem a fraternidade para a Igreja de São Domingos, em 1940. As reuniões aconteciam na própria nave da igreja (local onde fica a assembleia durante a missa). Mais tarde estas foram transferidas para o porão da casa paroquial. Em 15 de abril de 1944 os frades menores saem da Igreja de São Domingos e da cidade de Niterói por decisão da Província da Imaculada Conceição. Contudo, a Província se comprometeu a manter a ajuda, enquanto necessário, com a presença de um frade nos dias de semana e com dois aos domingos e dias santos. Estes frades residiam no Convento de Santo Antônio no Largo da Carioca, na cidade do Rio de Janeiro.

Em 1946, Frei Donato Bücker é transferido do Convento de Curitiba para a cidade do Rio de Janeiro e vem ao encontro da fraternidade da OFS como diretor espiritual. Neste período ele e os irmãos e irmãs da OFS realizam uma novena ao Divino Espírito Santo e logo após foi descoberta por eles uma ermida abandonada por uma irmandade dissolvida pela autoridade Diocesana, na antiga Capela de Sant’Anna e São Bento de Icaraí, datada de 1881. No mês de abril, o irmão ministro, Dr. Durval Baptitsta Pereira, dirigiu uma solicitação ao Bispo diocesano, Dom José Pereira Alves, solicitando a capela “abandonada, em aprazível local, por uma velha irmandade” (como descrito no livro de crônicas), onde os membros comprometiam-se a restaurá-la, pois estava infestada de cupins, assumindo total responsabilidade por todos os encargos e zelar pelo culto divino.

Capela de Sant'Anna e São Bento Colaborou: Rita Fernandes (Grupo Nikity das Antigas - Facebook)

Capela de Sant’Anna e São Bento
Colaborou: Rita Fernandes (Grupo Nikity das Antigas – Facebook)

Em 24 de maio, Dom José baixou o decreto de doação não só da capela, mas de todo o terreno que totaliza uma área de cinco mil metros quadrados e todos os pertences que ali haviam. Desta data em diante foi dado início ao trabalho de restauração, com os donativos dos próprios irmãos e irmãs franciscanos seculares e da comunidade, sendo inaugurada a sede da fraternidade, nas comemorações de Sant’Anna (26 de julho) e de Nossa Senhora dos Anjos (02 de agosto).

Campo de São Bento - José Henrique Gomes

Campo de São Bento com a Capela de Sant’Anna ao fundo Colaborou: José Henrique Gomes

 

Logo foi iniciada uma segunda campanha espiritual com a finalidade de conseguir a volta à Cidade de Niterói dos frades menores. Em 1946 os irmãos e irmãs da OFS não obtiveram sucesso em remover as dificuldades encontradas para o retorno dos frades. Mas em 1948, Dom João da Mata Andrade e Amaral assumiu a Mitra Diocesana e foi manifestada a vontade da fraternidade do retorno dos frades à Niterói. Assim, em 05 de novembro de 1948 foi entregue aos frades franciscanos a capela, quando o bispo assim se manifestou: “A diocese recebe de braços abertos os filhos de São Francisco”.

Assumiu como Padre Superior e Guardião, Frei Donato Bücker, em 25 de fevereiro de 1949, e logo foram iniciados os estudos juntamente com os irmãos da fraternidade, para a construção da Paróquia, onde a colaboração dos benfeitores e irmãos, e a dedicação do frei, foram primordiais para o êxito do projeto, que foi assinado pelo engenheiro Adail Bento Costa.

Em 13 de junho de 1952 (festa de Santo Antônio), foi lançada solenemente a pedra fundamental para a construção de um prédio de dois andares sito à Rua Miguel Couto, atrás da igreja, sendo o andar de baixo um grande salão paroquial e o andar de cima a sede da OFS, com grande sala, secretaria, cozinha e sala de costura (trabalho assistencial realizado pelas irmãs da Ordem).

Após a construção do grande prédio, é demolida a antiga capela dedicada a Sant’Anna e São Bento em 11 de agosto de 1954, e em 1º de agosto do mesmo ano é lançada a pedra fundamental da igreja a ser construída.

Colaborou: José Henrique Gomes

Colaborou: José Henrique Gomes

Irmãos e irmãs da fraternidade, junto de dois frades assistentes. Data incerta.

Irmãos e irmãs da fraternidade, junto de dois frades assistentes. Data incerta.

 

Jubileu de 40 anos de franciscanismo de Célia Pires Raposo (irmã Maria de Jesus)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s